Conferencistas

Partilhe

  José Aguilar Cuenca.

Doutor em Psicologia, especializou-se em psicologia clinica e forense. Fundou o Centro de Psicologia e Avaliação que há dez anos que concentra o seu trabalho em duas grandes áreas de intervenção – a investigação social e económica e a prática clínica forense. Director de investigação na Andaluzia das mais importantes consultoras internacionais, estudou e tratou numerosos casos de alienação parental, escrevendo e publicando vários livros sobre o tema. É autor de dezenas de artigos de psicologia, alguns traduzidos para inglês e russo, tendo sido inclusive convidado duas vezes para conferencias na sede do Tribunal Superior de Justiça do México.    

 

Raquel Pacheco Ribeiro de Souza.

Graduada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro – Brasil, promotora de justiça em Belo Horizonte, Minas Gerais; titular da Coordenadoria de Defesa dos Direitos das Famílias (MP – BR); especialista em Filosofia do Direito e Teoria Psicanalítica, autora da monografia “Alienação parental e narcisismo” e de vários artigos sobre o tema parentalidade. É actualmente professora no curso de formação de promotores de justiça MG-BR        

 

Prof. Doutor Vítor José F. Rodrigues.

Psicólogo (1984), Doutor em Psicologia (2002). Ensinou Psicologia Educacional na Universidade de Lisboa durante 14 anos tendo leccionado igualmente nas Universidades de Évora e Algarve. Trabalha como Psicoterapeuta na vida privada sendo autor de 11 livros, vários dos quais sobre temas ligados ao Desenvolvimento Pessoal e Auto-Ajuda. Foi Presidente da EUROTAS, European Transpersonal Association (2005-2009) e da Alubrat, Associação Luso-Brasileira Transpessoal (2003-2009).          

 

Rute Sandra Guerreiro Agulhas.

Psicóloga, doutoranda em Psicologia no Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE-IUL) onde trabalha como Professora Assistente convidada (Mestrado em Intervenção Comunitária e Protecção de Menores). Terapeuta Familiar pela Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar, é Psicóloga Consultora no Serviço de Clínica Forense da Delegação Sul do Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses, I. P. desde 2005. Docente convidada na Pós-graduação em Psicologia Forense e Criminal, Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz; no Mestrado em Medicina Legal, Faculdade de Medicina de Lisboa; no Mestrado em Stress e Bem-Estar, Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa. Foi docente convidada no Mestrado em Intervenção Comunitária e Protecção de Menores no ISCTE-IUL, docente no Instituto Piaget de Almada (Licenciatura em Psicologia – ramo de Psicologia e Aconselhamento, cadeira de Terapia Familiar) e Psicóloga numa Instituição Particular de Solidariedade Social, integrando um serviço de intervenção e prevenção do abuso sexual de crianças e adolescentes.        

 

Filipa Portugal Ramos.

Licenciada em Psicologia Clínica pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa e Mestre em Psicologia Comunitária e Protecção de Menores, pelo ISCTE-IUL. Frequentou Pós-Graduação em Avaliação e Intervenção com Crianças e Adolescentes, pelo Centro de Formação e Investigação em Psicologia, e actualmente integra a Equipa de Rendimento Social de Inserção da Santa Casa da Misericórdia do Cadaval (em Protocolo com o Instituto da Segurança Social, IP.).          

 

Sofia Cristina Pappámikail da Costa Marinho.

Socióloga, licenciada em Sociologia pelo ISCTE-IUL (2000) e doutorada em Ciências Sociais, especialidade Sociologia Geral, pelo ICS-UL (2012) com a tese: “Paternidades de Hoje. Significados, práticas e negociações da parentalidade na conjugalidade e na residência alternada.” Tem vindo a investigar a paternidade, a parentalidade, o género e as famílias portuguesas desde 2004 no ICS-UL. Actualmente, é docente na ESEL (Escola Superior de Enfermagem de Lisboa), bolseira do OFAP – Observatório das Famílias e das Políticas de Família (ICS-UL) e colaboradora em vários projectos em curso no ICS-UL: “Homens em Licença Parental” (coord. Karin Wall); “Global Division of Family Labor” (coord. Francine Deutsch, Mount Holyoke College) e “E depois do primeiro filho? Os meandros da construção “a dois” de biografias conjugais de fecundidade?” (Coord. Vanessa Cunha).   

 

Catalina Pestana.

Licenciada em Filosofia pela Universidade de Letras de Lisboa, foi professora de um colégio feminino e em 1975 assumiu a direção do Colégio de Santa Catarina, em Lisboa, pertença da Casa Pia. Exerceu estas funções durante cerca de doze anos, no único estabelecimento misto da instituição. Em 1982 concluiu o Mestrado em Psicologia Educacional e deu aulas de Análise Sócio-Histórica da Educação na Faculdade de Motricidade Humana. Foi coordenadora nacional do Projeto Vida de Prevenção da Toxicodependência em meio escolar no âmbito do Programa de Promoção e Educação para a Saúde, do Ministério da Educação. Foi Directora do Plano para a Eliminação do Trabalho Infantil e em 2002 assumiu o cargo de Provedora da Casa Pia de Lisboa.  

 

Carlos Marinho Falcão.

Psicólogo clínico com atividade profissional no Hospital do Espírito Santo e na Clínica CDI, ambos em Évora. Terapeuta familiar e membro efetivo da Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar. Doutorando em psicologia clínica pela Universidade de Évora. Área de pesquisa: Ansiedade social na adolescência. Percursos de desenvolvimento conducentes a comportamentos de retração perante os outros. Estilos parentais nos comportamentos de retração. Relacionamento interpessoal com pares na adolescência e ansiedade social. Referências teóricas: terapia cognitiva familiar sistémica, Psicologia evolucionista, Psicopatologia do desenvolvimento.    

 

Marta Cristina Pereira Garcia.

Psicóloga Clínica com especialização na área de Mediação Familiar e de Conflitos; Formadora. Trabalhou com crianças e jovens, no Instituto de Apoia à Criança de Ponta Delgada e com jovens integrados nas turmas PIEF (Programa Integrado de Educação e Formação). Orientadora/Moderadora do grupo de mútua-ajuda do Núcleo Regional de Évora da Associação Portuguesa para a Igualdade Parental e Defesa dos Direitos dos Filhos.

A ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA PELA IGUALDADE PARENTAL E DIREITOS DOS FILHOS tem por fim as actividades de carácter cívico, cultural, formativo e informativo, no âmbito da protecção e fomento da igualdade parental, nos seus diferentes níveis de intervenção – legislativo, jurídico, psicológico, mobilização da opinião pública, entre outros -, relativamente aos direitos dos filhos (crianças e adolescentes) cujos pais se encontrem separados ou divorciados.